Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Agenda Global faz cadeias de suprimentos avançarem em consciência ambiental e sustentabilidade

 

Publicado em 14/12/2021

Como líder do setor em um espaço tão importante agora, é o momento certo para começarmos a falar sobre a questão da sustentabilidade da cadeia de suprimentos de forma mais ativa


Foto: Divulgação

Artigo | Por Eddie Capel *

Nos últimos dois séculos, a economia mundial experimentou um crescimento prolongado e sustentado. No mesmo período, esse processo foi acompanhado por uma ampliação ainda mais rápida do comércio global. A integração das economias mundiais foi um dos eventos mais importantes e significativos do último século, com a globalização resultando em um crescimento notável no comércio entre os países, cujas exportações são agora mais de 40 vezes maiores do que em 1913.

Este aumento contínuo da globalização após a 2ª Guerra Mundial fez o comércio internacional crescer mais rapidamente do que nunca, e hoje a soma das exportações e importações entre as nações equivale a mais de 50% do valor da produção global total. Embora o aumento no comércio global em geral seja considerado bastante positivo, isso também trouxe desafios próprios e não menos importantes, como questões morais, éticas e ambientais: "só porque você pode, isso significa que você deve?" Além disso, com redes muito mais amplas de comércio internacional, existem agora mais e mais questões em torno dos desafios de cadeias de suprimentos cada vez mais complicadas, e o impacto que o comércio global apresenta ao nosso meio ambiente.

Com as cadeias de suprimentos sustentando os alicerces do comércio, as últimas duas décadas testemunharam um maior esforço deste setor para adquirir mais velocidade e eficiência, a fim de maximizar as margens reduzidas.  Essas eficiências são claramente importantes para os mercados globais e, nas últimas três décadas, temos prosperado neste espaço.

No entanto, hoje, não apenas da perspectiva da indústria, mas também da sociedade, existem prioridades mais urgentes, e a sustentabilidade e a consciência ambiental precisam estar no topo da agenda de todas as organizações. Como líder do setor em um espaço tão importante agora, é o momento certo para começarmos a falar sobre a questão da sustentabilidade da cadeia de suprimentos de forma mais ativa.

EMPODERANDO DECISÕES DE COMPRA MAIS VERDES

A maioria das marcas que oferece canais de venda direta ao consumidor (D2C) não tem a capacidade de permitir que o cliente agregue pedidos em um período de vários dias ou altere um pedido além de um período de "arrependimento" de 30 a 60 minutos. Ou seja, após clicar no botão de compra e concluir a transação, não é possível mais alterar, cancelar ou mesmo adicionar nada ao pedido. Essa inflexibilidade inevitavelmente leva a situações em que as compras feitas em vários dias ou mesmo no mesmo dia acabam sendo entregues por vários transportadores.

Graças aos recursos oferecidos por tecnologia de soluções de gestão de pedidos, ponto de venda e engajamento do cliente, há uma maneira mais inteligente de gerenciar as operações D2C, permitindo que o consumidor tenha mais influência sobre suas próprias decisões na cadeia de suprimentos do varejo. Essas capacidades criam essencialmente um pedido com um “status de rascunho” quando ele ainda está no armazém, permitindo que o cliente faça mudanças e adições, até o momento em que vai para o caminhão – muito mais flexível do que a carência tradicional de 30-60 minutos, período atualmente oferecido pela maioria dos varejistas.

Essa abordagem pode ajudar a eliminar o excesso de ofertas de entrega, junto com materiais de proteção e embalagem associados a vários pedidos menores, além da pegada de carbono do processo de devolução.

DESPERDÍCIO DE ESPAÇO É RUIM PARA TODO O PLANETA

PFAs (Pallet Fill Algorithms) mais inteligentes podem fornecer até 7% de aumento nas TFR (truck fill ratios). Embora o delta relativo possa parecer pequeno a princípio, quando você possui uma frota de milhares de caminhões, viajando milhões de quilômetros todos os anos, ganhos marginais podem adicionar reduções significativas na pegada de carbono total.

Se por meio de capacidades mais eficientes de carregamento de frotas nós podemos reduzir a necessidade de apenas um caminhão por mês, podemos diminuir a liberação de CO2 em quase 40 toneladas métricas por ano. Essa é uma redução significativa de CO2, conhecido por ser um dos gases de efeito estufa mais nocivos ao planeta.

ABORDAGENS MAIS VERDES E INTELIGENTES SOBRE O TRANSPORTE

Continuando com o tema transporte e entrega, vamos considerar a estratégia de gestão do transporte. Possuir um TMS moderno e efetivo é outro ponto-chave ao se considerar o impacto ambiental de sua cadeia de suprimentos.

Um bom TMS é um motor de otimização poderoso, que faz com que o planejamento do transporte seja mais rápido, mais inteligente e mais fácil. E essas características são fundamentais para que o planejamento e a rede de transporte tenham uma pegada de carbono menor.  Seja incorporando clima em tempo real, tráfego, dados de zona de baixa emissão específicos da cidade ou simplesmente fornecendo tempos de resolução até 80% mais rápidos, uma solução de gestão de transporte mais inteligente e baseada em dados não é ideal apenas para uma maior obtenção de lucros e uma melhor experiência geral do cliente, mas também pode ter um efeito significativo e positivo no impacto ambiental de uma marca.

ENVIAR MENOS AR É BOM PARA TODO MUNDO

Os avanços no uso de algoritmos mais inteligentes estão tendo impactos positivos significativos quanto à redução da quantidade de embalagens usadas nos processos de inbound e outbound. Quando se utiliza cubagem tridimensional (embalagem de mercadorias para envio com menos ar), embalagens inteligentes, utilização de amortecimento ou otimização de atendimento de pedidos, com menos embalagens usadas em toda a cadeia de suprimentos e menos ar sendo enviado, o volume por remessa é reduzido e o transporte se torna mais eficiente, o que significa menos caminhões nas estradas e menos aviões nos céus.

E isso é uma vitória, não apenas para a lucratividade final, eficiência da cadeia de suprimentos e experiência do cliente, mas também para o meio ambiente. Esse é apenas outro exemplo de como a aplicação de tecnologia mais inteligente pode gerar resultados "mais verdes" em todas as redes da cadeia de suprimentos.

O CAMINHO PARA UM FUTURO MAIS SUSTENTÁVEL

Acredito que o caminho para um futuro mais limpo e sustentável para o planeta começa com as pequenas decisões que todos podemos tomar no dia a dia. É preciso estar comprometido em construir a sustentabilidade nas soluções da cadeia de suprimentos em todo o mundo e incorporar abordagens mais ecologicamente corretas e sustentáveis nas organizações.

Não podemos deixar de reconhecer o fato de que o comércio global é de vital importância para a subsistência e o bem-estar de bilhões de pessoas ao redor do mundo e, embora a natureza inerente do movimento de mercadorias nunca possa ser inteiramente “verde”, isso não significa que não possa ser mais sustentável para o nosso planeta do que já foi no passado. Como líderes da indústria que sustenta o fluxo de bens globais, temos o dever de reconhecer os desafios apresentados pelas mudanças climáticas, de agir de forma responsável e proativa e de fazer nossa parte em um esforço coordenado para um futuro sustentável e com consciência ambiental.

________________

* Eddie Capel é CEO da Manhattan Associates

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!