Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Logistica do Futuro - Virtual

Cadeia do frio e o transporte da ceia

 

Publicado em 11/12/2014

*Marcelo Nicioli

As famílias brasileiras podem agradecer à cadeia do frio pela fartura e qualidade dos alimentos que consumirão neste final de ano. Afinal, a maioria das carnes, frutas e vegetais que consumirão é transportada do produtor ao ponto de venda em pequenos e grandes caminhões, com a temperatura interna do baú controlada.

Ainda assim, muito do que é produzido globalmente e, também, no Brasil nem chega às mesas dos consumidores. O Brasil é um dos principais produtores de alimentos do mundo e desperdiça cerca de 40 mil toneladas por dia, de acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Esse índice inclui desperdício na colheita, transporte e armazenamento, indústria de processamento, varejo e em casa.

Sendo assim, os transportes de refrigerados têm uma importante função no processo de redução da deterioração dos alimentos. Operadores de frota refrigerada têm à sua disposição modernas tecnologias, que registram a temperatura durante toda a viagem, controles eletrônicos digitais e sistemas integrados, a fim de melhorar a segurança alimentar, reduzir o desperdício e melhorar a rentabilidade da cadeia produtiva.

Por exemplo, sistemas avançados de temperatura e de gestão de ativos podem auxiliar a proteger a segurança da carga de alimentos em um único veículo ou em toda a frota. Os operadores também encontram no mercado soluções de monitoramento da carga em tempo real, o que possibilita acompanhar a abertura das portas, o combustível da unidade refrigeradora, alterar pontos de ajuste etc. Já os relatórios permitem que o operador tenha um histórico de todo o trajeto da operação, o que reduz a incidência de reclamações e a deterioração.

O manuseio e a distribuição correta podem ajudar a reduzir o desperdício de alimentos e melhorar a rentabilidade para toda a cadeia do frio. Menos desperdício significa menos caminhões, menor consumo de combustível e menor custo, o que possibilita que a empresa faça um trabalho mais efetivo de prevenção de quantidade de comida a ser transportada.

* Marcelo Nicioli é gerente de Produto para Truck and Trailer da Thermo King no Brasil e possui mais de 18 anos de experiência no transporte frigorificado de cargas sensíveis à temperatura.

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: