ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Promo PowerBank

 

Categorias

 


 
 Quintiq

 

Point Sistemas

 

Intermodal

 



Como se preparar para o efeito Amazon?

Publicado em 27/11/2019

Por Ruben Belluomo*


O ritmo da inovação no supply chain global continua a aumentar e não há sinais de que vai desacelerar.

O "Efeito Amazon" está mudando as expectativas de desempenho, não apenas no varejo, mas em todos os setores. Os executivos perguntam constantemente as equipes operacionais porque elas não conseguem operar na velocidade da gigante do comércio eletrônico. Embora a entrega de um ou dois dias possa não ser realista, semanas ou meses também não são mais aceitáveis.

Com o desenvolvimento tecnológico, o hardware, o software e a conectividade estão se tornando mais acessíveis e econômicos do que nunca. A tecnologia está totalmente incorporada em áreas funcionais da cadeia de suprimentos global. Basta ir a qualquer conferência, a agenda será preenchida com palestrantes focados em tópicos relacionados à tecnologia. Robôs, veículos autônomos, caminhões elétricos, blockchain, Internet das Coisas (IoT) e novas categorias habilitadas para dispositivos móveis estão prontas para entrar em cena de uma forma ou de outra. É difícil prever o que é uma moda passageira, mas uma coisa é certa: a inovação na cadeia de suprimentos - mesmo que seja apenas experimental - não é um luxo, mas uma necessidade.

 

Tendências no supply chain

Quando os líderes de inovação falam sobre quais serão os próximos passos, alguns temas dominam as discussões. Embora essa não seja, de forma alguma, uma lista exaustiva, os seguintes temas serão apresentados nos próximos meses e anos, resultando em casos de uso prático para a indústria se reunir, são eles:

 

Dispositivos conectados se tornarão mais enraizados em cadeias de suprimento

Não precisamos ir além do que está acontecendo com eletrodomésticos: refrigeradores, interruptores e termostatos agora estão conectados à internet e controlados por aplicativos mobile. Seja qual for a nova linha de fabricação - um novo caminhão, um novo centro de distribuição, ou mesmo um portão de quintal -, o supply chain não está imune ao fenômeno IoT. Novas máquinas já estão transmitindo status granulares e informações de performance para centrais de comando, que as empresas podem usar para monitorar suas cadeias de suprimento. O fluxo de informações constante, em tempo real e detalhado sobre o que realmente está acontecendo, dará aos times um nível de clareza que deverá ajudá-los a se ajustarem rapidamente e garantir que os fluxos de inventário sejam os mais suaves possíveis.

 

Blockchain ainda está na imaginação da indústria em sua maioria, e nós vamos presenciar alguns usos práticos surgirem

A ideia de blockchain é uma promessa, mas ainda está alguns anos distante de uma adoção em massa na área de supply chain. A previsão é de que nós não iremos ver soluções comerciais viáveis antes de 2025. Independentemente disso, CIOs vão ficar animados e algumas companhias vão se juntar a fornecedores de TI em projetos para demonstrar onde essa tecnologia melhor beneficia a cadeia de suprimentos. Espere para ver alguns conceitos possíveis de blockchain surgirem por conta da tentativa de diversas empresas e startups.

 

• Soluções de economia compartilhada continuarão a transformar serviços logísticos

Empresas como Airbnb provaram que um aplicativo mobile bem desenhado possui um imenso potencial. Uber e outras estão configurando redes de motoristas para entregar encomendas aos consumidores, usando seus próprios veículos.  À medida que eles saem dos estágios de planejamento e fornecem evidências concretas de sucesso, espere ver esse conceito expandindo para veículos maiores, como vans e caminhões pessoais, com o objetivo de receber cargas maiores. Aplicativos avançados e sensores off-the-shelf irão fornecer melhor visibilidade e controle do que a maioria dos transportadores conseguem hoje.

 

• A visibilidade da cadeia de suprimentos se tornará uma categoria de tecnologia importante, utilizada por analistas

Nas últimas duas décadas, essa característica se agrupou a outras categorias de tecnologia, como planejamento de recursos, sistemas de gerenciamento de transportes e de armazéns, gerenciamento do comércio global, planejamento do supply chain, das vendas e de toda a operação.
O Gartner tem publicado materiais sobre o SCV (Supply Chain Visibility), nos últimos anos, como uma “estrutura”, o que significa que o SCV está avançando em direção a uma categoria de tecnologia dedicada. As empresas estão até emitindo RFPs para essa capacidade, e implementações maduras estão demonstrando retorno significativo do investimento. Os líderes da comunidade de gerenciamento da cadeia de suprimentos discutem se um Quadrante Mágico do Gartner para SCV pode se tornar possível em um futuro próximo.

 

Tecnologia para Supply Chain

Em alguns aspectos, a excelência da cadeia de suprimentos pode proteger os líderes de mercados estabelecidos de empresas iniciantes altamente inovadoras, porque a arte de fabricar e enviar produtos ao redor do mundo ainda exige um certo grau de processos do “velho mundo” que não desaparecem. No entanto, seria prudente que as empresas investissem ou testassem os conceitos acima - e outros - a fim de criar um nível de DNA de inovação para se adaptarem aos novos tempos.
A Amazon e o Uber podem até estar gerando todo esse barulho agora, mas poderá haver outras empresas altamente inovadoras que estão se preparando para assumir a liderança nos mercados estabelecidos, baseados em um modelo operacional em que a tecnologia esteja em primeiro lugar. Ao utilizar algumas dessas capacidades tecnológicas citadas acima, talvez a sua companhia se torne uma delas.

 

* Ruben Belluomo é Sales Manager e Supply Chain da Infor

 

Veja também: