Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Ultimas tendencias - assinatura

Pandemia alavanca inovações na área de logística

 

Publicado em 17/08/2020

Por Gilson Chequeto*


Sabemos como a pandemia impactou nossa economia de forma irreversível, e isso inclui a área de logística das empresas, tão essencial para os negócios. Com inúmeras restrições para controlar a disseminação do Covid-19, muitas empresas que atuam com itens que não são essenciais – roupas, eletrônicos, etc – tiveram suas vendas reduzidas. No entanto, também é verdade que o setor rapidamente respondeu à crise de forma bastante ativa, uma vez que o e-commerce se tornou a principal fonte de consumo da população.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), desde o início da pandemia, mais de 135 mil lojas passaram a atuar com vendas pelo comércio eletrônico. Uma pesquisa realizada pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), em parceria com o Movimento Compre & Confie, também chama atenção ao destacar que as vendas no e-commerce mais que dobraram em junho de 2020.

E se o e-commerce avança, cresce com ele as necessidades de uma logística efetiva, que contribua com a experiência do cliente e que atenda altas demandas do atual varejo do “novo normal”. Ou seja, o setor teve que rapidamente assumir uma rotina muito mais cheia e exigente que uma Black Friday, ou qualquer outra data sazonal, só que em dias comuns, cotidianamente. E neste contexto, a própria indústria precisou rever seu modelo de atuação. Porque, afinal, antes de determinado produto chegar às grandes magazines e plataformas de e-commerce, ele precisa ser distribuído em um fluxo de negócios B2B.

Para atender essa demanda, é visível como a tecnologia tem assumido um papel essencial, desde o atendimento ao cliente até o uso de ferramentas para controle de estoque e armazenagem, ou ainda para distribuição e gestão total das entregas. A própria gestão eficiente de rotas, com a possibilidade de otimização de espaço nos caminhões e entregas programadas dentro de um planejamento eficiente, torna-se fundamental. Afinal, quanto mais ágil e eficiente for a rotina de entregas da indústria para seu cliente corporativo, mais rápido este canal conseguirá repassar os produtos ao cliente final, agora muito mais alinhado com o modelo delivery de consumo.

As companhias que já estavam preparadas em conjunto com o mercado de e-commerce ou que já tinham dentro de casa uma gestão logística madura puderam lidar com o desafio de maneira mais positiva, minimizando os impactos negativos do momento. Outras empresas tiveram o desafio extra de transformar o comportamento de suas áreas logísticas para este novo comportamento do consumidor. Mas, é inegável que, de uma forma geral, todas as varejistas, além de indústrias, estão construindo uma nova e competitiva forma de atuar dentro do nosso cenário atual. 

O valor que a tecnologia tem ganhado neste momento certamente fica marcado em nossa história e economia, sendo hoje, mais do que nunca, um dos principais pilares para atuação das empresas nesses tempos de crise. As soluções para logística ganham força e hoje falar sobre ferramentas para o controle da performance do transportador, visibilidade 360º para gestão das entregas, conectividade e tracking analítico já são pautas comuns entre os principais líderes do mercado.

E uma vez que essas inovações se “popularizam”, o mercado de gestão logística ganha um novo impulso para alavancar negócios e recuperar o tempo perdido, mesmo que este time ainda não tenha um deadline definido.

*Gilson Chequeto é CEO da Lincros


 

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: