Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Black Friday 2020: como a logística pode ser vilã ou protagonista do evento

 

Publicado em 24/11/2020

 

Esta aberta a semana dos descontos arrasadores.

É o que anuncia a enxurrada de e-mails descarregados em minha caixa trazendo anúncios de promoções dos mais variados segmentos: bebidas, cursos, suplementos, vestuário, eletrodomésticos, cama, mesa e banho…

E não fica só no virtual não, nem mesmo a Casa das Delícias, fabriqueta de pote da felicidade (bolos) aqui do meu bairro, ficou de fora. Botou na porta uma faixa gigante anunciando:

 

Semana da Black Friday: Fiquem de olho nas oportunidades! 

 

Exposto a uma tentação dessas, minha nutricionista mal sabe o que tenho passado…

 

Programada para acontecer no dia 27/11, sexta-feira, a Black Friday 2020 promete abalar as estruturas do comércio brasileiro.

Estima-se que o crescimento nas vendas será de 77% para o período entre 26/11, véspera da Black e a próxima terça-feira 01/12, comparado ao ano passado. Estamos falando de algo em torno de R$ 6,9 bilhões.

As previsões são da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e da Ebit | Nielsen, umas das maiores plataformas de opinião de consumidores do Brasil.

E são das mais otimistas. E a principal explicação para todo esse entusiasmo está na pandemia por coronavírus e na nova construção do hábito de comprar online dos últimos meses.

Já sabemos que as vendas tendem a bombar, e isso é bom. Contudo, existem cuidados a serem adotados para que a logística não seja a vilã do evento.

No texto você vai ler sobre a experiência e os desafios logísticos do Prime Day 2020, um “esquenta” da Black Friday feito pela Amazon, sobre os cuidados que o consumidor deve ter na hora de comprar e as principais estratégias logísticas para que sua empresa não faça feio nessa Black Friday.

 

Logística: vilã ou protagonista da Black Friday? 

Esse "boom" de vendas é ótimo para o varejo, mas um desafio para a logística, ou melhor, para os logísticos, que a essa altura do campeonato já estão desenhando, discutindo e desenvolvendo verdadeiras estratégias de guerra para atender a demanda negra desses cinco dias mais intensos do ano.

Diante de um aquecimento dessa envergadura, e em um janela tão curta, aquilo que a logística chama de "Pedido Perfeito": entregue completo, no local indicado, para cliente certo, no prazo combinado, na quantidade correta e no custo ideal, torna-se quase impossível de acontecer.

Permita-me dividir uma experiência pessoal para ilustrar o que estou querendo dizer.

Nos dias 13 e 14 de outubro aconteceu o Prime Day 2020, uma antecipação da Black Friday feita pela Amazon com dois dias de duração e com grandes ofertas para membros Amazon Prime.

Eu sou um desses membros que, além de gostar dos preços da Amazon, adora ainda mais a logística super eficiente do Marketplace.

Na ocasião comprei, a pedido da minha filha, a assistente virtual Alexa.

Como membro Prime e morador da grande São Paulo, estou acostumado a receber os produtos Amazon em até 24 horas. Porém, a Alexa chegou depois de quase dez dias.

E cabe um adendo aqui: não estou falando de uma loja qualquer, mas de um marketplace especialista em logística e acostumados com grandes volumes.

 

Já escrevi sobre a logística deles: Como a Amazon fez da logística seu grande diferencial competitivo.

 

O exemplo da Amazon serve para ilustrar os problemas que podemos ter nessa Black Friday, contudo, em escala nacional.

Adiante, no tópico: como preparar a logística, falaremos em mais detalhes sobre que medidas tomar para não fazer feio na Black Friday

 

Quais cuidados adotar por parte do consumdor e das empresas 

Já estamos cientes que serão milhões de novos consumidores online, pessoas que nunca tinham comprado na internet antes, mas que compraram durante a pandemia e estarão na disputa pelas promoções.

Sabemos também que não é indicado fazer aglomerações em lojas físicas, que sempre foram responsáveis por uma fatia da Black Friday. O que aponta para mais fluxo online.

Outra dinâmica importante a considerar é a situação da economia, que mais do que nunca, pede que grandes descontos sejam oferecidos para dar acesso aos usuários.

Sem falar que muitas empresas precisam vender mais para gerar caixa e, em muitos casos, reduzir os estoques.

Ou seja, o bicho vai pegar.

 

ATENÇÃO CONSUMIDORES


Será preciso considerar que não se trata de uma época qualquer. Paciência para esperar o produto chegar é vital. Sem falar em outros probleminhas de extravio, erro de pedido e avarias.

Portanto:

  • Tenha uma lista de compras;
  • Monitore o esquenta da Black Friday;
  • Pesquise a reputação das lojas;
  • Só compre de lojas online com certificado de segurança;
  • Atente-se a e-mail falsos e cuidado com golpes;
  • Acompanhe suas compras;
  • E o mais importante: conheça seus direitos.


Atenção empresas: como preparar a logística

Como disse, estamos diante de uma operação de guerra. E a empresa que vai se dar bem nessa Black Friday, não só nas vendas, mas principalmente em manter sua reputação, começou a se preparar há meses e meses atrás.

Dentre os principais itens de preparo destacaria:

  • Um bom planejamento de vendas: equipes, estoques, canais de vendas, produtos mais procurados, itens de maior lucratividade e promoções a serem veiculadas;
  • Controle efetivo dos estoques: inventários antes, durante e depois da Black Friday. Momento oportuno para liquidar itens encalhados que há tempos comprometem o capital de giro;
  • Verifique o impacto dos custos de frete nas promoções: não existe frete grátis, apesar de todos acharem que sim, portanto, calcule o impacto do frete considerando que, os veículos autônomos, geralmente à disposição, serão demandados por seus concorrentes, e claro, estarão mais caros;

 

Leia mais: Não existe frete grátis, o que existe é logística inteligente

 

  • Coloque a logística nas mãos de especialistas: a logística costuma ficar no chapéu de serviços e, para muitas empresas, especialmente os ecommerces, acaba sendo uma dor de cabeça com custos exorbitantes. Logo, faz muito sentido terceirizar essa fase para focar no que realmente é o Core Business do negócio. O nome técnico da prática é FULFILLMENT.

 

Leia mais: Como a logística fulfillment reduz os custos e cria diferenciais competitivos para seu negócio

 

 

  • Programe o transporte para a demanda especial: demanda de vendas maior significa maior necessidade de veículos. Reavalie sua frota atual x frota necessária para o período e faça parcerias com transportadoras e até mesmo com outros players concorrentes para casarem entregas e reduzir assim os custos de fretes;
  • Prepara-se para um pós-vendas e logística reversa aquecida: é bastante comum nesse período um aumento de trocas e devolução de mercadorias. Ter um Call Center efetivo e à disposição, não só ajuda nos custos com logística, mas principalmente apoia na fidelização do seu cliente. Atente-se a isso.


O que tem que ser negra é a sexta-feira e não sua vida no fim desse período de Black Friday.

Sendo assim, para arrebentar nas vendas e encantar seus clientes fique atento a todas essas dicas e prepare-se para estourar a champanhe.

 

 

 

Achiles Rodrigues

Por Achiles Rodrigues

Possui mais de 16 anos de atuação em logística, transportes, processos e pessoas. É professor de liderança e criatividade e um entusiasta do mundo digital. É graduado em administração de empresas, Teologia e pós-graduado em MBA Logística e Supply Chain.

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: