Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

8 competências essenciais ao profissional de logística em 2025

 

Publicado em 17/06/2021

As cadeias de suprimentos sempre foram complexas e com riscos associados, mas a dura realidade imposta pela pandemia levou esta complexidade a um outro nível. A disrupção em fornecedores, a volatilidade da demanda, as restrições na produção / movimentação de materiais, a completa imprevisibilidade sobre cenários, as mudanças fortes no comportamento de consumidores e na forma de trabalhar... Estes fatores exigiram e vêm exigindo a reinvenção dos profissionais de supply chain - e a exigência pelo nível de desempenho cresceu consideravelmente.

A Covid-19 trouxe a maior revolução do trabalho desde a invenção da internet. Isso introduziu um novo modelo de liderança, que precisa definir prioridades, simplificar processos, antecipar riscos, ser extremamente empático e inclusivo no trato com as pessoas. Apesar da crise econômica global, o mercado de logística está bastante aquecido. O crescimento exponencial dos negócios digitais / e-commerce aumentam o volume de investimentos e aceleram a inovação na área.

Estudos da Gartner e do Fórum Econômico Mundial apontam as habilidades e competências para os profissionais que buscam fazer a diferença na supply chain digital do futuro. Mais do que nunca, é fundamental a mentalidade de aprendizagem e crescimento permanentes!


De oho em 2025: habilidades e competências fundamentais:

1. Inovação com foco no cliente: Focado no resultado, com visão do negócio e em todos os impactos ao cliente, compreende o contexto amplo da gestão de ponta a ponta. Pensa a inovação como algo incorporado aos processos operacionais;


2. Adaptabilidade: Entrega com sucesso os resultados em situações incertas e ambíguas- age com resiliência, flexibilidade e atitude positiva;


3. Habilidades políticas: Obtém o apoio das partes interessadas e age com empatia;


4. Pensamento sistêmico / Raciocínio lógico: Entende como seu trabalho afeta outros e a organização como um todo, mapeando riscos. Organiza, estrutura e clareia as informações para subsidiar as melhores decisões;


5. Colaboração em sinergia: Aproveita os pontos fortes dos colegas e prospera em um ambiente de equipe;


6. Uso, monitoramento e controle de tecnologias: possui capacidade de ler, escrever e comunicar dados no contexto. Tem compreensão das fontes usadas nas construções de dados, métodos analíticos e técnicas aplicadas. Inova nas decisões da cadeia de suprimentos com dados- sejam Inteligência Artificial (IA), aprendizado de máquina (ML) ou outros;


7. Resolução de problemas complexos: Sabe identificar a causa do problema e entre as múltiplas possibilidades de ações corretivas, pensa "fora da caixa" e assume riscos para trazer a solução que agrega mais valor em toda a cadeia de suprimentos;


8. Visão de ESG: Sabe a importância de pautar suas atitudes e projetos sempre para o benefício da sustentabilidade, responsabilidade social e diversidade.

 

As mudanças estão em andamento e aceleradas. 
Fique firme no seu propósito, e vamos em frente nesta jornada de aprendizagem e evolução!


 

Luís Eduardo Ribeiro

Por Luís Eduardo Ribeiro

É Gerente Regional de Operações da Martin Brower, líder global em soluções logísticas de ponta a ponta para redes de restaurantes. Ao longo da carreira, liderou a supply chain de empresas como DHL, Carrefour, Ponto Frio, bioMérieux etc. Em 2016, planejou e executou a logística de alimentos para as Olimpíadas RIO-2016. Recebeu Moção de Reconhecimento da Assembleia Legislativa do RJ pelos serviços prestados como Administrador de Empresas. Foi eleito Profissional de Logística do Ano pela Revista MundoLogística.

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: