Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Sistemas de recompensa em armazéns

 

Publicado em 23/04/2021

Programas de incentivos são muito comuns em operações industriais e podem produzir economias significativas, aumentos de qualidade e maior satisfação dos funcionários. Nos Centros de Distribuição (CDs), podem trazer benefícios como a redução de avarias aos materiais, erros operacionais, quebras de equipamentos, diferenças de inventários, etc.

Algumas profissões foram construídas com base em incentivos; é o caso dos vendedores, quase sempre movidos por comissões. As gorjetas, outra forma de incentivo, direcionam a maior parte da receita dos funcionários de restaurantes e bares. Quando se trata de operações logísticas, os incentivos não são tão comuns. Como implantar um programa de incentivos efetivo nos armazéns?

Indo direto ao ponto, como deveria ser um programa de incentivos em um CD?

 

Os incentivos devem ser equilibrados em nível de dificuldade.
Eles devem ser alcançáveis, mas não por meio de um trabalho mediano. Tornar o programa fácil não será interessante, mas muito difícil também não ajudará, e as pessoas irão descartá-lo. Encontrar o equilíbrio certo é o grande desafio do idealizador de um programa de incentivos. 

 

Os incentivos devem ser equilibrados para evitar metas conflitantes. Se você criar um incentivo para recompensar as taxas de erro mais baixas, uma matriz deve ser criada para garantir que a velocidade não seja comprometida abaixo de um determinado nível. Pode ser desejável que os pedidos sejam separados mais lentamente para garantir uma taxa de erro aceitável, mas seu sistema de medição deve levar isso em consideração. Uma categoria de trabalho não deve ser sacrificada para melhorar outra.

 

Os incentivos devem ser justos. Eles não devem criar uma vantagem para um grupo em detrimento de outro. É bem possível que os incentivos criados na separação (picking) possam prejudicar a operação de expedição. Os incentivos justos levam esses conflitos inerentes em consideração.

 

Os incentivos devem ser absolutamente mensuráveis. Crie uma métrica para medir o sucesso, que não pode ser manipulada, contornada ou alterada.

 

Os incentivos devem ser inclusivos. Não projete um sistema que recompensa apenas parte de sua força de trabalho. Se você tem um sistema bem projetado, ele recompensa a todos, desde o recebimento até o processamento e o envio. 

 

Os incentivos devem recompensar os executantes, encorajar os funcionários e visar os que não apresentam desempenho. Os trabalhadores de baixo desempenho podem ou não atingir a meta, mas os incentivos os ajudam a compreender a diferença entre seu desempenho e o desempenho desejável.

 

Os incentivos devem ser projetados para ajudar a identificar e promover processos melhores. Bons programas de incentivo ajudam a entender por que os desempenham melhoram. Sua força de trabalho prestará atenção em como os melhores desempenhos estão atingindo seus objetivos.

 

Os incentivos devem recompensar os funcionários e a empresa. Suas métricas devem ser capazes de definir o escopo de economias ou ganhos devido ao alcance de suas metas. 

 

Os incentivos devem ser flexíveis. Reveja os seus frequentemente para garantir que eles continuem a cumprir seus objetivos. 

 

Os incentivos devem ser transparentes, rastreados e divulgados publicamente.

 

O dinheiro é rei, mas não é a única maneira. Embora bônus, compartilhamento de ganhos e outros métodos sejam altamente produtivos e úteis, você também pode fazer coisas como conceder privilégios como parte de seu sistema. Considere coisas como escolhas de turnos preferenciais, almoços grátis, festas, acesso a mercadorias ou brindes, dias extras de férias e outros métodos.


 

Marco Antonio Oliveira Neves

Por Marco Antonio Oliveira Neves

Diretor da Tigerlog Consultoria e Treinamento em Logística Ltda

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: