ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha - Natal

 


 Point Sistemas

 

Tegma

 

Evento Operações Logísticas Inovadoras

 

Intermodal

 

Armazenagem e Logística

Imagem de Armazenagem e Logística

A armazenagem, dentro da logística, é uma atividade de extrema importância, já que é um serviço que promove a estocagem ordenada e a distribuição de produtos acabados no interior das fábricas ou ainda em locais destinados a este fim. Portanto, a armazenagem pode ser efetuada pelos fabricantes ou por um processo de distribuição específico.

A lembrança mais antiga que temos de armazém nos remete a galpões que guardavam determinados materiais, sem outras utilidades agregadas. Com o tempo, as empresas passaram a perceber que o serviço de armazenagem pode trazer rendimento ao fazer parte de atividades de produção, marketing e finanças. Percebeu-se que os armazéns mais do que guardar produtos têm espaço para fluxo de materiais, possibilitando o controle de toda a operação.

O controle na logística envolve a proteção de materiais, controle de entrada, de saída, de estoque, distribuição, controle de demanda e capacidade de produção. Portanto, aquele local que apenas estocava “coisas” tornava-se um setor essencial para a customização de todas as atividades da empresa, aumentando o lucro.

Com esse controle também se conquistou a redução dos custos de armazenagem, com a otimização dos processos, controle mais eficiente das informações, aumento no nível de qualidade dos serviços, melhor administração de inventários, práticas operacionais, técnicas de movimentação de materiais, processamento de pedidos e métodos de estocagem.

EVOLUÇÃO DA ARMAZENAGEM

O serviço de armazenagem evoluiu e hoje pode ser terceirizado. Mas muitas variáveis entram na análise para definir qual o processo operacional de armazenagem utilizar.

Se considerarmos que a armazenagem é a administração do espaço, que se dispõe a manter os estoques, perceberemos que é uma atividade que necessita de muito planejamento, que precisa de condições específicas para um desempenho eficaz e transparente.

Dentre essas condições está a localização, que precisa priorizar estruturas em locais com vias de acesso de modo a beneficiar o trânsito dos meios de transporte; o espaço físico, pois a dimensão da área destinada à armazenagem precisa ser compatível para o que se destina, facilitando as operações internas de movimentação de cargas e aos meios de transporte que serão utilizados; arranjo físico, na busca de se adequar às necessidades e características dos produtos, para otimizar os espaços e receber maior quantidade de itens com a menor quantidade possível de movimentação interna; sistemas de informações, onde são aplicadas tecnologias voltadas para o gerenciamento da armazenagem, como sistemas de TI; e recursos humanos, que representa grande parte do custo total, dessa forma, a equipe deve ser composta por pessoas qualificadas.

A armazenagem pode ser bem simples ou bastante complexa, de acordo com o material e as normas a serem seguidas. Assim, é preciso levar em consideração aspectos como fragilidade, combustibilidade, intoxicação, radiação, volume, materiais perecíveis, peso e forma entre outros.

TIPOS DE ARMAZENAGEM

Existem diversos tipos de armazenagem, como por agrupamento, que facilita arrumação e busca em detrimento do aproveitamento do espaço; por tamanhos, que objetiva o aproveitamento do espaço; por frequência, onde a acomodação leva em consideração a logística para facilitação da saída de certos produtos; especial, onde a armazenagem se dá em ambiente climatizado ou isolado (indicada para gases especiais, inflamáveis e até mesmo de produtos perecíveis); em área externa, para diminuir os custos com instalações (forma muito utilizada na construção civil e metalúrgica).

Muitas vezes é necessário mesclar estes diferentes tipos em empresas que trabalham com grande variedade de produtos.

O fato é que o modelo tradicional de armazenagem, que antigamente concentrava grande parte da produção em estoques situados em um mesmo local, tem sido cada vez menos utilizado. O novo modelo agora é baseado em metodologias como a Just in time, onde a quantidade de produtos armazenados é a menor possível e o fornecimento muitas vezes é terceirizado. Assim, a gestão de estoques ganhou mais importância e se tornou uma vantagem estratégica com possibilidade de sucesso ainda maior quando considerada em conjunto com a gestão logística.

 

 

Veja também: