Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Amazon quer transformar lojas inativas em centros de distribuição

 

Publicado em 10/08/2020

Com o declínio dos shoppings center e a alta do e-commerce o plano da Amazon é usar lojas desativas para estocar itens nos EUA

 

A Amazon quer transformar lojas de departamentos fechadas como J.C. Penney e Sears em Centros de Distribuição (CDs) nos EUA. Para tal, a varejista estaria em negociações com a Simon Property Group, maior operadora de shopping centers daquele país, segundo o Wall Street Journal.

Normalmente, a Amazon usa esses depósitos para armazenar de tudo, desde livros e roupas a utensílios de cozinha e eletrônicos, até a entrega aos clientes locais.
No entanto, ainda não está claro quantos locais estão sendo considerados ou se o negócio será de fato concretizado. De acordo com um relatório de maio do Simon Property, o grupo atualmente possui 63 lojas JCP e 11 Sears.

As negociações refletem a convergência de duas tendências anteriores à pandemia do novo Coronavírus, mas que foram impulsionadas por ela: o declínio dos shoppings e o boom do comércio eletrônico.

 

Desafios durante a pandemia

Em março, com o estopim da pandemia, a Amazon passou por alguns contratempos em seus CDs. Após a companhia conviver com a escassez de produtos e entregas mais demoradas, teve de fechar temporariamente um pequeno centro no Queens, Nova York, pois um funcionário testou positivo para a Covid-19.

Depois de meses sendo alvo de críticas pela falta de cuidados com a segurança dos funcionários em seus depósitos, a varejista anunciou no fim de junho o pagamento de um bônus de US$ 500 milhões distribuídos aos trabalhadores nos EUA que estivessem mais expostos ao vírus durante aquele mês.

A medida veio como forma de compensar uma decisão de cortar um adicional que foi pago nos primeiros meses da doença.

 

 

Veja também: