Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Cesar Meireles renuncia ao cargo de presidente da Abol

 

Publicado em 11/03/2021

Fundador da associação deixa o posto com importantes legados, por exemplo, o projeto que regulamenta a atividade do operador logístico no Brasil

 

Depois de oito anos e meio presidindo a Associação Brasileira de Operadores Logísticos, Cesar Meireles confirma seu afastamento do cargo de presidente da Abol.

Meireles fundou e estruturou a associação. Dentre os destaques do seu legado está a atuação no Projeto de Lei (PL) nº 3.757 de 13/07/2020, de autoria do deputado Hugo Leal (PSD/RJ), em tramitação na Câmara dos Deputados, que regulamenta a atividade do operador logístico no Brasil, foi protocolado em 13 de julho do ano passado, no auge da grave pandemia da Covid-19. Atualmente, o documento está aguardando a nomeação do relator na Comissão de Viação e Transporte (CVT) da Câmara dos Deputados e continuará seguindo os trâmites regulamentares até a sanção presidencial.

Ainda não há consenso sobre quem sucederá Meireles. A escolha está sendo feito por headhunter junto ao Conselho Deliberativo, segundo o próprio ex-presidente, que afirma ainda: 

 

“Quando me perguntam como me sinto ao renunciar à presidência da Abol, não hesito em dizer que não é simples nem fácil para mim, que vi a associação nascer em minha casa, tendo ela como uma filha amada, mas que precisa seguir o seu destino, de forma autônoma, com identidade própria”.


Ao falar sobre o tempo em que esteve à frente da Abol, Meireles destaca que, ao protocolar o PL, cumpre, regozijado, um dos mais importantes desafios contratuais e entregas que lhe foram demandados pelos fundadores.


“O legado regulatório que ora deixamos, o qual em muito me honra, trata-se de fato de extrema relevância para o setor. O resultado aferido nesses oito anos e meio, trouxeram a maturidade, a visibilidade, o reconhecimento, a admiração e o respeito da ABOL de forma muito precoce”.

 

Futuro como ex-presidente da Abol

Segundo o ex-presidente, parcerias para atuação como conselheiro e consultor estão nos seus planos.


“Com filhos criados, sinto-me livre para atuar em várias frentes e em outras regiões do país ou até da América Latina, levando em consideração, inclusive, poder retornar ao nordeste, à minha terra natal, a Bahia, ou, quem sabe, à Pernambuco, estado que me acolheu desde a adolescência”.


Como foco de atuação, Meireles enfatiza que essas três décadas de trabalho lhe credenciaram a atuar em toda a cadeia logística de valor, desde portos, retroportos, transportes em quaisquer modais, armazenagem geral e alfandegada, desenvolvimento de clusters e hubs logísticos, além, claro, em operadores logísticos de largo espectro.

 

“Dá-me especial regozijo atuar em projetos de Fusões e Aquisições, ou no inglês M&A (Mergers and Acquisitions), dado ser profundo conhecedor do mercado; assim como em Relgov (Relações Institucionais e Governamentais), como também em projetos de definição e redefinição estratégica, projetos de turnaround, desenvolvimento de novos negócios (inclusive greenfield), hubs de inovação tecnológica e participação na criação de novas entidades (associações) de classe e de representação setorial”.

 

Quando o assunto é o futuro da Abol, Meireles é enfático.


“O sucesso do que realizamos até o presente não garante o êxito futuro”. Ele acredita que essa etapa do PL nº 3.757/2020 é crucial e vai levar a associação a um novo espectro, entendimento e projeção. Na visão dele, os fóruns, missões e estudos técnicos são absolutamente imprescindíveis para o continuado êxito da entidade.
 

 

Artigo(s) publicado(s) na revista e relacionado(s)


 

Os operadores logísticos, a Associação Brasileira de Operadores Logísticos e a qualidade
Um paralelo da atividade no Brasil


 

Operadores logísticos, panorama setorial, marco regulatório e aspectos técnico-operacionais
O estudo que antecede o projeto de lei que regulamenta a atividade dos operadores

 

 

Veja também: