Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Com investimento de R$ 22,5 mi, Freto anuncia fase independente do grupo fundador

 

Publicado em 15/07/2021

Marketplace para o mercado de frete possui mais de 125 mil motoristas, 300 mil veículos cadastrados e intermedeia, diariamente, 3,5 mil contratações para transporte de 150 mil toneladas de carga

O Freto acaba de anunciar que iniciará nova fase de operação independente do Grupo Ticket, que fundou o serviço há dois anos no Brasil. A estratégia veio após o Freto receber aporte de R$ 22,5 milhões na primeira rodada de investimentos do tipo seed

O marketplace, que conecta cargas com caminhoneiros, nasceu como uma solução de empreendimento dentro do Grupo Tricket para simplificar a logística rodoviária, movendo caminhoneiros. No entanto, o faturamento da logtech quase triplicou no ano passado.

O Freto já se destaca como um dos principais marketplaces do mercado rodoviário do Brasil. Atualmente, possui mais de 125 mil motoristas e 300 mil veículos cadastrados, além de intermediar mais de 150 mil toneladas de carga por meio de 3,5 mil contratações (matches) diariamente.

NOVA ADMINISTRAÇÃO

A partir de agora, a empresa passa a ser controlada pelas famílias Corrêa da Silva e Stumpf, empreendedores gaúchos que fundaram grandes ativos no Brasil, como Getnet, Embratec, Saque e Pague e Banco Topázio. A injeção de investimentos na startup também conta com a família Galló, representada por Christiano Galló, cofundador da Quartz Investimentos e Edenred Capital Partners, o fundo de venture capital da Edenred.

De acordo com o comunicado, a Edenred Capital Partners terá o papel de apoiar a logtech no ecossistema de logística no Brasil, no qual está presente com a marca Repom, assim como, em um segundo momento, na conquista de mercados internacionais.

Para liderar o Freto, Thomas Gautier assume como CEO após 10 anos no Grupo Edenred. O executivo iniciou a carreira na França e chegou à Repom em 2013, como CFO. Em 2017, tornou-se diretor-geral da Repom e, em 2018, passou a ser Head do Mercado Rodoviário, quando, em sua gestão, o Freto nasceu.

“É com grande satisfação que assumo o desafio de liderar o Freto em seu novo momento e levar a empresa rumo a um novo horizonte. Desde o nascimento da logtech, pude mapear, em trocas com clientes, as dores e ineficiências em suas operações. Entre as principais queixas estavam a perda de tempo para localizar um transportador adequado. Na outra ponta, também escutava as dificuldades dos caminhoneiros e o desejo deles de ter acesso a mecanismos que lhes permitissem encontrar cargas e rentabilizar.” – Thomas Gautier, novo CEO do Freto.

BRAÇO LOGÍSTICO DA INDÚSTRIA

O Freto também atua como um broker 100% digital, indo além da conexão entre embarcadores e caminhoneiros. Essa unidade de gestão logística atende grandes produtores de grãos, açúcar, siderúrgicas, fabricantes de papel e celulose e cimenteiras, atuando como braço logístico da indústria e oferecendo atividades como análise das rotas, controle de fluxos e custos – o que é considerado uma revolução para o mercado logístico.

Segundo Thomas Gautier, o Freto foi construído como uma empresa de tecnologia para o setor de transportes, e não o contrário.

“Atuamos para conectar caminhoneiros e a indústria, pautados pela digitalização e com o propósito de simplificar a logística rodoviária, movendo caminhoneiros. Acreditamos numa logística mais humana, feita por pessoas e para pessoas, que agregue valor para o embarcador, transformando e simplificando sua maneira de fazer logística, e que valorize cada vez mais caminhoneiros, que atuam num contexto de dificuldades, carregando o Brasil na carroceria e transportando as riquezas do nosso país. Eles são os verdadeiros heróis das estradas.” – Thomas Gautier, novo CEO do Freto.

 

Veja também: