Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Com tecnologia, frota elétrica e reflorestamento, Manlog busca poluição zero

 

Publicado em 27/01/2021

Investimento de mais de R$40 milhões e ações práticas, como reflorestamento e frota elétrica fazem parte da meta da empresa


Operar com mais de 50% da frota elétrica e poluição zero. Essa é a meta da Manlog, transportadora que vem se destacando pela sua estratégia e ações práticas de conscientização ambiental e social. Embora a meta seja para 2030, o trabalho prático já começou, e com bons resultados.

Exemplo é a campanha, lançada recentemente, em que a Manlog envolveu seus seguidores das redes sociais em uma mobilização para o plantio de árvores. Resultado: três mil pessoas abraçaram a ideia e o mesmo número de mudas será plantada no Parque Estadual da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. O projeto de reflorestamento busca a renovação do cerrado e terá acompanhamento de um engenheiro ambiental. Essa área se somará aos mais de um milhão de metros quadrados, no Sul do país, já reflorestados pela Manlog.


Impactando efetivamente a operação da transportadora, foram adotadas e implantadas cerca de 15 inteligências artificiais em 160 veículos da frota. O projeto, em parceria com a startup Amppli Tecnologia, será ampliado, aprimorado, e todos os processos internos são monitorados por gestão a vista e já economizaram mais de 45 mil impressões de documentos, que passam a ser digitalizados.
Monitorados em tempo real, cada veículo conta com mais de seis de câmeras, sensores de desacoplamento e bafômetro. Os cavalos e carretas possuem telemetria. A fumaça que sai dos motores passa por teste de opacidade para garantir o mínimo de impacto ao meio ambiente. Os pneus, agentes de profundos problemas ecológicos, são rastreados via chip e acompanhados durante toda sua vida útil, garantindo sua reciclagem e reutilização.


Desde dezembro de 2020, os primeiros veículos elétricos da transportadora já estão em rodagem. O objetivo é estender o conceito e incluis veículos sustentáveis também na mobilidade compartilhada dos colaboradores, proporcionando-lhes qualidade de vida e bem-estar.


Todos os esforços já somam um investimento superior aos R$40 milhões, entre novos veículos e tecnologias. Mas por que o engajamento? Thiago Suzin, CEO da Manlog, pondera que os valores da empresa estão diretamente alinhados a práticas como essas, que valorizam a vida e o meio ambiente, reforçando entre colaboradores, clientes e público externo o apelo social. Além disso, ele lembra que “as pessoas acordaram para a realidade dos fatos e estão em busca de consciência e evolução, e as empresas que não se adequarem às novas práticas agora, estará fadas ao desserviço ambiental, social e econômico.”

 


 

 

Veja também: