Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Copersucar estimula sustentabilidade na cadeia de transportadoras

 

Publicado em 17/08/2021

Comercializadora de açúcar e etanol cria ranking para incentivar fornecedores a implantar iniciativas ambientais com foco na redução de emissões de gases de efeito estufa e ações de segurança viária


Foto: Divulgação

Com a intenção de reduzir a emissão de gases de efeito estufa (GEE), a Copersucar, comercializadora de açúcar e etanol, vem buscando caminhos e oportunidades de melhorias nos sistemas de distribuição dos produtos. Para tal, a empresa criou o Ranking de Logística, parte do Programa de Relacionamento com Transportadoras (PRT) que desenvolvido há quatro anos.

O projeto tem como objetivo premiar os melhores desempenhos no transporte rodoviário de açúcar bruto. Além dos critérios de performance de atendimento, de aderência a contratos e desempenho de entregas, o ranking desenvolvido pela Copersucar avalia a postura responsável em segurança e aspectos de sustentabilidade, como números de sinistros, resguardo na descarga e emissão de gases de efeito estufa.

Atualmente, a empresa trabalha com mais de 110 transportadoras. Juntas, elas carregam aproximadamente 6 milhões de toneladas de açúcar por ano pelo Brasil e para outros países através do porto de Santos.

Segundo a coordenadora de Sustentabilidade da Copersucar, Maria Cláudia Trabulsi, a proposta é valorizar as transportadoras que atendem diferentes critérios de qualidade e encorajar a melhoria contínua da gestão interna, bem como a busca por resultados melhores e mais sustentáveis.

“Acreditamos que toda a nossa cadeia precisa estar conectada. Já adotamos os mais importantes critérios ambientais nas usinas sócias da companhia e agora precisamos utilizar esta experiência para impulsionar empresas de outros setores complementares a seguir o mesmo caminho.” – Maria Cláudia Trabulsi, coordenadora de Sustentabilidade da Copersucar.

Uma transportadora que ganhou destaque na última safra foi a Rodomarco. Em 2020, a empresa conquistou a certificação SASSMAQ (Sistema de Avaliação em Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Qualidade) que atesta a segurança, rapidez e eficiência no transporte de cargas em todos seus processos, avaliando os impactos sobre o meio ambiente.

“Esta certificação é muito mais do que um selo, é o nosso compromisso de estar à frente em relação à garantia de procedimentos mais estruturados e focados na melhoria contínua. A nossa operação tem uma atenção especial nesse sentido, com uma forte política de sustentabilidade, incluindo o gerenciamento de resíduos.” – Danielle Martendal de Castro, executiva da Rodomarco.

De acordo com Castro, a transportadora trabalha com a logística reversa de baterias, pneus, sucatas e óleo, além de já realizar o reaproveitamento da água das lavagens dos caminhões e fazer o controle de fumaça preta dos veículos. “A cada três meses, nós aferimos a emissão de gases de efeito estufa da nossa frota com o objetivo de controlar e reduzir os impactos ao meio ambiente”, completa.

FOCO NA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Há dois anos, a Copersucar iniciou um trabalho de conscientização e conduziu um workshop para capacitar as transportadoras no tema de mudanças climáticas, incentivando a adoção de melhores práticas para gerenciar e reduzir as emissões de gases de efeito estufa nas operações logísticas. O projeto destacou os aspectos mais atuais na discussão deste contexto global, reforçando a importância da elaboração e preenchimento de inventários de GEE.

Já na safra 2020/2021, os fornecedores da Copersucar passaram por treinamentos com foco para o setor logístico, como o de Segurança na Descarga sobre a Operação Segura e de Sustentabilidade para o preenchimento da planilha de GHG, executado pela equipe de sustentabilidade da companhia. De acordo com Maria Cláudia, o mapeamento das emissões está entre os objetivos de uma das linhas estratégicas da Cultura de Sustentabilidade da Copersucar. “Hoje, parte dos nossos fornecedores de distribuição já entrega a planilha de inventário GEE, sendo que a nossa expectativa é engajar toda a cadeia, sobretudo as transportadoras,” explica.

DISSEMINAR BOAS PRÁTICAS

Agora, o próximo passo da Copersucar é conscientizar e orientar as transportadoras a preencherem os próprios inventários de gases de efeito estufa. Para isso, a companhia declara já estar elaborando um guia para treinar cada transportadora a apurar, monitorar e divulgar a própria emissão.

“Ao contribuir para que as empresas da nossa cadeia de fornecedores comecem a relatar as suas emissões do escopo 1 e 2, não apenas teremos maior precisão no relato do nosso escopo 3, como também ajudamos, indiretamente, outras empresas a ampliar as suas avaliações. É uma iniciativa onde todo mundo ganha, a Copersucar, seus fornecedores e, principalmente, o meio ambiente e a sociedade.” – Maria Cláudia Trabulsi, coordenadora de Sustentabilidade da Copersucar.

 

Veja também: