Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Demanda por frete rodoviário em janeiro é menor que em 2020

 

Publicado em 01/03/2021

 

Volume de fretes está 2,7% abaixo do registrado em janeiro do ano passado

 

Segundo o Índice de Frete e Pedágio Repom (IFPR), a demanda por fretes rodoviários no Brasil apresentou recuo de 2,7% em janeiro, em relação ao mesmo período de 2020. Na série histórica, que teve início em 2017, é a primeira vez que a análise aponta queda nessa comparação. O volume de viagens em janeiro também esteve abaixo de fevereiro de 2020, o mês com menos fretes no ano passado.
 

“Os dois primeiros meses do ano, tradicionalmente, apresentam volumes mais baixos no levantamento”. - Thomas Gautier, head de Mercado Rodoviário da Edenred Brasil.



A Repom, especialista em soluções de gestão e pagamento de despesas para frotas próprias e terceirizadas da Edenred Brasil, traz mensalmente os dados e as análises do período. No agronegócio, a redução da demanda é de 39,1%, se comparados os volumes de fretes em janeiro de 2021 e no mesmo mês do ano passado. Neste início de ano, o setor também apresentou recuo de 31,5% em relação a dezembro.

Ao analisar janeiro, no comparativo com o mesmo período de 2020, foi possível notar também um crescimento na demanda de indústria e varejo. Neste ano, os dois setores demandaram 3,1% mais fretes.

 

“Se comparado a 2019, o volume de fretes na indústria e no varejo é 15,3% maior, o que mostra que o aumento da demanda, embora exista, segue um ritmo de crescimento menor que o verificado entre 2019 e 2020”.



Tendo em vista as atividades das principais cidades portuárias do Brasil, a demanda por fretes caiu 31,8%. Das cidades analisadas pelo IFPR, apenas Vitória, no Espírito Santo, e Ipojuca, em Pernambuco, registraram aumentos na demanda. Os maiores recuos ocorreram em Itajaí, em Santa Catarina (-57%), Itaituba, no Pará (-55%), e Santos, em São Paulo (-47%).

O IFPR é um estudo mensal que atualiza o cenário dos fretes rodoviários e também das passagens nas praças de pedágios das principais rodovias brasileiras, desenvolvido pela Repom, que intermedia mais de 30 milhões de transações por ano, com mais de 1 milhão de caminhoneiros em sua base. Com o conhecimento de mercado de mais de 25 anos, a Repom conta com um forte DNA financeiro e de inovação por meio de suas plataformas e soluções, usando metodologia ágil, para que seus públicos alcancem altos níveis de eficiência nas operações.

 

 

Veja também: