ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Airport town

 

Categorias

 

Fretebras

 

BYD

 

e-Galpão

 



Deutsche Post DHL encerra 2013 com receita de 55 bilhões de euros

Publicado em 21/03/2014

Resultado foi reflexo da posição da empresa nos mercados em crescimento

O Deutsche Post DHL, grupo líder mundial em logística e serviços postais, gerou receitas de mais de 55 bilhões de euros e impulsionou sua lucratividade mais uma vez em 2013. Comparado aos 55,1 bilhões de euros do ano anterior, o montante apresentou uma ligeira queda de 0,8% em decorrência de taxas de câmbio negativas e outros efeitos inorgânicos. Desconsiderando esses fatores, no entanto, as receitas subiram quase 3%. Este ganho foi impulsionado em partes por taxas postais mais elevadas, bem como pelo aumento do volume e das receitas nos negócios de encomendas na Alemanha. Outros fatores que estimularam as receitas foram um forte crescimento nos negócios expressos e ganhos de receita na divisão Supply Chain.

Estas melhorias foram resultado da posição excepcional da empresa nos mercados em crescimento do mundo, onde as divisões da DHL estão agora gerando uma parte significativa de suas receitas. Este posicionamento também forneceu a base para o aprimoramento das margens que levaram a um aumento do EBIT para 2,86 bilhões de euros. Desta forma, os ganhos operacionais encerraram o exercício de 2013 dentro da faixa esperada de 2,75 bilhões de euros e 3,0 bilhões de euros. O lucro líquido consolidado atingiu 2,1 bilhões de euros durante o ano passado, um aumento de mais de 450 milhões de euros em relação a 2012.

"Demos um passo significativo para frente em 2013. Nós desenvolvemos nossos pontos fortes, afirmamos a nossa sólida posição no mercado e melhoramos significativamente a empresa em todos os aspectos em relação à nossa Estratégia 2015", disse Frank Appel, CEO do Deutsche Post DHL. "Vamos, no entanto, continuar a trabalhar duro para atingir nossos objetivos de 2015, tendo em vista o lento ambiente econômico global dos tempos atuais", ressalta.

Diretriz: O grupo permanece confiante
Muito embora a economia mundial deva vivenciar apenas uma pequena aceleração de crescimento, o Grupo Deutsche Post DHL espera manter sua tendência de ganhos positivos em 2014 e aumentar o EBIT para algo entre 2,9 bilhões de euros e 3,1 bilhões de euros. Embora a divisão Mail esteja prevista para contribuir com cerca de 1,2 bilhões de euros para alcançar este total, as outras unidades da DHL devem continuar a ampliar seus lucros e gerar um EBIT entre 2,1 bilhões de euros e 2,3 bilhões de euros durante o ano.

Pensando no próximo ano, o Deutsche Post DHL continua a prever que irá cumprir as metas definidas na Estratégia 2015 da empresa. A empresa espera aumentar seu lucro operacional para, aproximadamente, 3,35 bilhões de euros e 3,55 bilhões de euros.

Exercício fiscal de 2013: Rentabilidade aprimorada
Em 2013, as receitas consolidadas totalizaram 55,1 bilhões de euros, uma ligeira queda em relação aos 55,5 bilhões de euros registrados no ano anterior. Após os ajustes de taxas de câmbio negativas e outros efeitos inorgânicos, no entanto, as receitas do ano passado subiram 2,8%, ficando acima de 1,5 bilhões de euros. Durante o mesmo período, o EBIT do Grupo aumentou em 7,4%, ou cerca de 200 milhões de euros, chegando a 2,86 bilhões de euros (2012: 2.67 bilhões de euros). Além das melhorias operacionais, este resultado reflete uma série de efeitos isolados que impactaram a comparação com o desempenho do ano anterior: Em 2013, a utilização de partes da provisão de selo postal teve um efeito positivo de 50 milhões de euros nos ganhos. Outro fator que impactou positivamente a comparação ano após ano foi a ausência de efeitos isolados em 2013, que no total teve um impacto negativo de 38 milhões de euros sobre o EBIT nas divisões de Mail e Express em 2012. Na divisão de Supply Chain, fatores isolados positivos e negativos praticamente se anularam em 2013. Mesmo quando ajustado em relação a todos os principais fatores não recorrentes, os ganhos operacionais do Grupo teriam aumentado em 2013 - impulsionados por ganhos de rentabilidade gerados pelas divisões da DHL. Como resultado do lucro operacional superior da empresa, e de seus resultados financeiros aprimorados e uma taxa de imposto mais baixa, o lucro líquido consolidado saltou de 27,5% no ano passado para 2,1 bilhões de euros (2012: 1,6 bilhões de euros). Da mesma forma, os ganhos básicos por ação subiram de 1,36 euros no ano anterior para 1,73 euros em 2013. Ajustado segundo todos os efeitos isolados - incluindo o ga nho de alienação de 186 de euros milhões resultante da venda do Postbank, no primeiro trimestre de 2012 - o lucro líquido da empresa e os ganhos por ação também subiram vertiginosamente.

Divisão Express: Setor de negócios expressos internacionais vivencia forte crescimento
A divisão Express continuou a gerar ganhos significativos em 2013. As receitas reportadas somaram 12,7 bilhões de euros - uma ligeira queda em relação ao total de 12,8 bilhões de euros do ano anterior. No entanto, a receita em 2012 incluiu a alienação de empresas nacionais de serviços expressos na Austrália, Nova Zelândia e Romênia. Ajustadas em relação a este efeito e a efeitos cambiais negativos significativos, as receitas aumentaram em mais de 4% organicamente. Mais uma vez, o principal fator que alimentou esses ganhos foi o crescimento das remessas internacionais de tempo definido. Este resultado positivo foi alcançado em todas as regiões. O EBIT da divisão cresceu mais de 2% no último ano, chegando a um total de 1,1 bilhões de euros (2012: 1,1 bilhões de euros). A comparação com os números de 2012 é ; distorcida, no entanto, pela ausência de diversos fatores isolados positivos em 2012.

Divisão Global Forwarding: Margem de EBIT estável
Em um ambiente de negócios que permanece desafiador, as receitas da divisão de Global Forwarding caíram 5,3% em 2013, totalizando 14,8 bilhões de euros (2012: 15,7 bilhões de euros). Ajustada segundo os efeitos cambiais negativos, a queda foi um pouco além de 2%. O volume e as receitas de frete aéreo caíram abaixo do nível do ano anterior, principalmente, por causa do enfraquecimento da demanda de alguns dos principais clientes de tecnologia e setores de engenharia e fabricação. O volume e as receitas provenientes do frete marítimo também diminuíram. A principal razão para este desenvolvimento foi uma demanda menor nas regiões das Américas e da Europa. Em contrapartida, a demanda aumentou nas rotas intra-Ásia e Norte-Sul. Um pequeno aumento nas receitas gerado pelo transporte por terra resultou em grande parte de uma ligeira melhoria n os negócios da Alemanha, Europa Oriental, países do Benelux e França.

Divisão Supply Chain: Novos negócios
Na DHL Supply Chain, as receitas caíram ligeiramente para 14,3 bilhões de euros em 2013 (2012: 14,3 bilhões de euros). Ajustadas em relação aos efeitos cambiais negativos e ao impacto da alienação de três subsidiárias que não faziam parte dos negócios principais da empresa, as receitas subiram quase 6%, ou mais de 800 milhões de euros. Este aumento foi impulsionado, principalmente, pelo forte crescimento na região da Ásia-Pacífico, bem como nos setores de Ciências Biológicas e Saúde, Automotivo, Consumo e Tecnologia. Com 1,5 bilhões de euros, o volume de novos contratos fechados com clientes novos e antigos alcançou um nível recorde. Mais uma vez, esses ganhos demonstraram claramente a força do modelo de negócios bem sucedido da divisão. Durante o ano de 2013, o EBIT da divisão subiu 5,3%, chegando a 441 milhões de euros (2012: 419 milhões de euros). As despesas relacionadas a alienações da empresa, atividades de reestruturação de menor importância na Europa e processos de insolvência envolvendo um cliente nos Estados Unidos foram quase totalmente compensadas por um efeito positivo não recorrente resultante da modificação dos planos de pensão no Reino Unido.

“Continuamos a lucrar com a nossa decisão de concentrar esforços nas tendências-chaves. Em primeiro lugar, o avanço constante do e-commerce, que continua a gerar altas taxas de crescimento para nós como líderes de mercado. Seguido pelo grande crescimento nos negócios de serviços expressos internacionais. E, por fim, a importância dos mercados emergentes, regiões do mundo da qual estamos tirando muito proveito de um crescimento dinâmico, graças à nossa presença internacional de longo alcance. Somados, esses fatores produzem uma imagem muito gratificante do Grupo Deustche Post DHL em todas as divisões, como uma grande força nos mercados que estão se expandindo mais rapidamente”, finaliza o CEO, Frank Appel. 

Quer se manter atualizado e preparado para o mercado de trabalho?
Clique aqui e descubra como a MundoLogística vai te ajudar!

 

Veja também: