Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Logistica do Futuro - Virtual

DHL adota e expande o uso de bicicletas nas suas entregas

 

Publicado em 06/04/2020

Iniciativa busca reduzir a emissão de carbono das cadeias de suprimentos em entregas nos centros urbanos


As mudanças tecnológicas, sociais e de mercado estão fazendo com que as cadeias logísticas tenham que entregar cada vez mais valor e um dos principais é a sustentabilidade. A DHL Supply Chain, líder em armazenagem e distribuição, desenvolveu soluções inovadoras e flexíveis que visam, justamente, a redução significativa da pegada de carbono e outros impactos ambientais das cadeias de suprimentos. Possibilitando a integração da cadeia logística de seus clientes com uma distribuição sustentável em centros urbanos, a empresa passou a realizar entregas via bicicletas, tradicionais e elétricas. A previsão para 2020 é realizar uma média de 100 entregas com este perfil por dia, tornando porções da distribuição 100% sustentáveis. 


“A sustentabilidade é um valor que na DHL se traduz em metas globais de redução de emissões e na busca incessante por estratégias de menor impacto ambiental. Este projeto une estes objetivos com a demanda crescente dos clientes por abordagens mais sustentáveis e inovadoras.” - Gildo Neto, diretor de Transportes da DHL Supply Chain.

 

A meta do Deustche Post DHL Group é zerar suas emissões de CO2 até 2050

Além do baixo impacto ambiental, integrar bicicletas a cadeias de suprimentos traz muitas outras vantagens. A primeira é o custo, que pode ser até 50% menor do que com automóveis tradicionais. A segunda é a maior agilidade no trânsito, seguida pela maior facilidade de estacionamento e ausência de restrição de circulação. “Os congestionamentos, locais de parada e restrições são os principais desafios da logística urbana atualmente.

 

"Elas impactam o tempo de deslocamento, custo operacional e eficiência da roteirização. As bicicletas trazem uma resposta viável, eficiente e que pode abranger uma gama representativa de entregas”.

 

“Os ciclistas têm um papel fundamental neste processo e não apenas pela propulsão. Neste modelo, eles coletam o produto e documentação necessária, percorrem o trajeto e contatam diretamente os recebedores da carga, ou seja, não se trata de um simples frete, mas sim de uma abordagem inovadora de transportes dentro da cadeia de suprimentos. E o interessante é que temos notado que as pessoas simpatizam com este tipo de entrega: a bicicleta é mais facilmente acomodada e a conversa mais próxima. Logo, é uma interação mais harmônica e que agrega valor ao nosso cliente proprietário da carga.”

 

A iniciativa faz parte do fortalecimento da DHL Supply Chain como um provedor de soluções de armazenagem e transportes de ponta-a-ponta e o primeiro cliente é a Schneider Electric, líder global na transformação digital em gestão de energia elétrica e automação. Nesta operação, o processo começa com o transporte de produtos pela DHL via carro elétrico dedicado do Centro de Distribuição de Schneider Electric, em Cajamar, até uma base na zona oeste de São Paulo. De lá, os produtos de baixo volume – peças e equipamentos ligados a gestão e automatização de energia elétrica – armazenados em mochilas ou baús especiais são entregues via bicicleta para distribuidores, varejistas e técnicas no centro expandido de São Paulo.


“Os resultados iniciais foram muito animadores, com feedbacks positivos da Schneider Electric e dos receptores da carga. Pretendemos, inclusive, expandir o número de produtos entregues. Além disso, estamos conversando com outros clientes interessados em São Paulo. No ano que vem, vamos tentar levar este projeto para outras capitais do país”, concluiu o diretor de Transportes da DHL Supply Chain.

 

 

Veja também: