Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

DHL Supply Chain reforça operação para pico do e-commerce

 

Publicado em 20/11/2020


Além do reforço, companhia reforça três aspectos importantes para manter a eficiência logística no período

Costumeiramente, o último trimestre do ano, que representa o maior período de compras do mundo, aumenta os desafios logísticos no planejamento e gestão de volumes. Neste ano, com os novos padrões de consumo, causados pela pandemia, somado ao crescimento vertiginoso do e-commerce, a logística deverá ser desafiada como nunca.
A DHL Supply Chain na América Latina é um dos players que reforçaram suas operações para atender o pico na demanda.

Segundo o CCO da companhia, Luiz Moreira, diante desse cenário há três principais aspectos para alcançar uma alta temporada de sucesso na cadeia de distribuição e eles estão ligados à flexibilidade, talento e inovação.


"Na DHL Supply Chain estamos comprometidos com os nossos clientes para que tenham acesso às nossas capacidades multissetoriais, que permitem uma sinergia de pessoas, infraestrutura, processos e sistemas, proporcionando-lhes um serviço de maior qualidade e confiabilidade durante a alta temporada. A pandemia acelerou a forma de fazer negócios, portanto, os sistemas e processos robustos da DHL, juntamente com uma ampla gama de soluções para e-commerce, começando com atendimento, cross docking, serviços de valor agregado (etiquetagem, embalagem e montagem de kits), gestão e execução do transporte, até a entrega ao consumidor final e logística reversa, permitem à DHL apoiar seus atuais e novos clientes na rápida adaptação à nova realidade do mercado e na melhor preparação para as demandas da alta temporada."



O talento certo, com o treinamento certo e com um objetivo claro, associado a iniciativas inovadoras, é o segundo grande aspecto que a DHL Supply Chain identificou para garantir uma alta temporada de sucesso.

 

"As pessoas e sua segurança são uma prioridade na organização, nós somos mais de 32 mil colaboradores em toda a região e o trabalho que cada um de nós faz é uma parte essencial da vida dos clientes de nossos clientes. Contamos com ferramentas digitais e virtuais que nos permitem aumentar nossa capacidade de treinamento, reduzindo o tempo de integração e garantindo agilidade para responder à crescente demanda por talentos para apoiar as vendas do comércio on-line. Além disso, face à contingência da Covid-19, foram implementados mais de 28 protocolos de segurança para garantir a saúde da nossa equipe e a integridade das pessoas que deles dependem, como os nossos clientes, famílias e comunidades.”


Reforçando o aspecto da inovação, principalmente na América Latina, a DHL Supply Chain implantou a ferramenta MySupplyChain, uma solução com a qual os clientes podem acessar online e observar detalhadamente o que está acontecendo em tempo real.

 

"Isso é inestimável, porque quando falamos em e-commerce, a quantidade de pedidos pode ser brutal e com um grande número de variáveis na gestão de volumes, então por ter ferramentas automatizadas, é possível acompanhar e atuar para garantir a experiência do consumidor."

 

Na América Latina, a DHL Supply Chain está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. No Brasil, durante o contingenciamento de saúde, a DHL Supply Chain ampliou em 50% sua frota para operações de comércio eletrônico local e omnichannel, para o qual a empresa chega fortalecida na alta temporada com o objetivo de atender os diferentes volumes de seus clientes em modelos B2C e B2B. Além disso, a companhia expandiu de forma significativa sua equipe no Brasil, passando de 10 mil para cerca de 15 mil colaboradores, sendo que cerca de cinco mil são dedicados ao e-commerce.

A DHL Supply Chain atua tanto para marketplaces, como para indústrias e empresas que lançaram operações de omnichannel - com este último perfil, a DHL fez a migração de ao menos 3 novos projetos em 2020. Por fim, para dar conta das flutuações de demanda, a DHL tem migrado estruturas de armazenagem e transporte de setores de menor demanda para o e-commerce, proporcionando grande flexibilidade e elevados níveis de serviços, principalmente durante eventos como a Black Friday.

 

 

Veja também: