Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Estudo aponta logtechs e soluções inovadoras de supply chain

 

Publicado em 29/01/2020

Pesquisa mapeou 317 startups brasileiras com soluções inovadoras de supply chain, contribuindo para a superação de desafios logísticos

 

O portal Liga Insights – plataforma que reúne conteúdos relevantes sobre inovação e startups em diversos setores –, com o apoio da VLI, – empresa que oferece soluções logísticas integradas que abrangem portos, ferrovias, terminais e rodoviário –, acaba de lançar estudo inédito sobre as inovações de supply chain.
O levantamento aborda o mercado de logtechs, startups da área logística que estão desenvolvendo ferramentas inovadoras para solucionar questões importantes da cadeia de distribuição brasileira, como por exemplo, baixa qualidade da infraestrutura e da malha viária, falta de segurança e alta concentração do transporte rodoviário na matriz de carga brasileira.

 

Tecnologias e inovações de supply chain são estratégicas

De acordo com o estudo, diante da transformação do mercado impulsionada, por exemplo, por startups atuantes na logística last-mile como Rappi, iFood e Loggi; e de uma maior exigência na qualidade das entregas por parte dos consumidores, a área de logística assumiu um posicionamento mais estratégico para as empresas. Dentro deste contexto, a tecnologia tem o papel de impulsionar a competitividade das organizações e amplia as oportunidades para as logtechs.

Raphael Augusto, head do Liga Insights, explica que essa janela de oportunidades pode fazer, inclusive, com que as startups contribuam para uma mudança cultural nas grandes empresas.

 

“Além de aproveitar o início de abertura do mercado logístico no Brasil para a inovação, as startups podem se posicionar como verdadeiras agentes de transformação nas organizações, criando espaço para processos mais ágeis e geração de valor por meio da tecnologia.”

 

Para Vanderlei Marques, gerente geral de Desenvolvimento de Negócios Multimodais da VLI, o segmento carece de boas soluções tecnológicas apesar dos altos valores envolvidos nas operações logísticas do Brasil (aproximadamente 12% do PIB, o que equivale a R$ 1 trilhão por ano).

 

“Queremos promover e fomentar um crescimento exponencial da mesma forma que o segmento de Fintechs no Brasil teve nos últimos 5 anos. Em 2017, a VLI lançou o Inova VLI; um programa de inovação aberta, com intuito de aproximar a VLI do ecossistema de uma forma ativa. Neste ano, a VLI encabeça a vertical de Logística e Mobilidade no Cubo, para fomentar ainda mais o relacionamento com startups do setor”.

 

Ainda de acordo com Marques, a produtividade brasileira demandará uma logística muito mais e?ciente nos próximos anos.

 

“A tecnologia passa a ser fundamental para que estejamos bem posicionados dentro do ambiente de negócios global. Tendências como blockchain, IoT, inteligência artificial e data analytics dentre outros, poderão trazer muito mais competitividade para o país e impulsionar uma transformação do ambiente logístico brasileiro."

 

Brasil conta com mais de 317 startups no segmento de AutoTechs

Além do estudo, a Liga Insights também criou um mapa com todas as startups brasileiras que estão inovando no setor de AutoTechs. De acordo com o levantamento, o Brasil possui hoje 317 AutoTechs espalhadas por todo o país - startups voltadas para o setor de logística, transporte e mobilidade.

As soluções foram divididas em 17 categorias, algumas delas em destaque:

  • Mobilidade;
  • Caronas;
  • Coletivos;
  • Comunidade;
  • Elétricos;
  • Não-motorizados e rota - (32 startups);
  • Last-mile delivery;
  • Logística reversa e entras com (31 startups) e;
  • Ferramentas de gestão e CRM (28 startups).
  •  

O estudo também mapeou outras categorias como:

  • Monitoramento do veículo;
  • Automação e Rastreamento (25 startups);
  • Drones e VANTs (24 startups);
  • BI;
  • Data Analytics e Modelagem de dados (23 startups);
  • Gestão e Cotação de Fretes e Trucking (23 startups);
  • Gestão de Frotas (19 startups);
  • Logística Verde (19 startups);
  • E-hailing e E-sharing (16 startups);
  • Finance & Insurance (16 startups);
  • Experiência de Compra e Venda (12 startups);
  • Roteirização (12 startups);
  • Serviços de Manutenção (12 startups);
  • Field Services e Gestão de equipe (11 startups);
  • Marketplace Carros, Peças e Pesados (8 startups) e;
  • Parking (6 startups).

 

O estudo completo pode ser acessado aqui.

 

 

Veja também: