Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Latam terá 21 aeronaves de carga até 2023

 

Publicado em 18/05/2021


Com as aeronaves de carga, o grupo quase dobrará a capacidade e reduzirá a idade média desta frota de 17 para 14 ano

 

O Grupo Latam anunciou a expansão do seu plano de crescimento de frota convertida em cargueiros, com a expectativa agora de incorporar de forma gradativa 10 Boeing 767-300 Boeing Converted Freighters nos próximos três anos, completando assim uma frota de 21 Boeing 767 cargueiros até 2023. O primeiro avião será recebido no final deste ano.
 
A princípio, o plano de crescimento da frota cargueira contemplava quatro aviões já confirmados com a Boeing e mais quatro opções de conversão. Dois meses após o anúncio, a Latam ratificou a aquisição das oito aeronaves e anunciou a conversão de mais dois Boeing 767-300ERs adicionais. Desta forma, a frota total dos operadores de carga do grupo Latam será de 21 aeronaves, até o final de 2023, o que significa que o grupo vai praticamente dobrar a sua capacidade de cargas e reduzirá de 17 para 14 anos a idade média desta frota.


“A decisão de expandir a frota está baseada nas atrativas oportunidades de crescimento, nos ganhos de eficiência que serão alcançados e na flexibilidade oferecida pelo Boeing 767F. Com isso, será possível crescer com rentabilidade, inclusive em cenários semelhantes aos enfrentados antes da pandemia. Graças a isso, as filiais de carga da LATAM continuarão respondendo às necessidades de seus clientes e apoiando o desenvolvimento do continente com uma conectividade melhor e mais ampla.” - Andrés Bianchi, CEO da Latam Cargo.

 

Crescer de 11 para 21 cargueiros levará as operadoras de carga do grupo a expandir e reforçar a sua presença dentro e para fora América do Sul, e se consolidar como o principal grupo de operadoras de carga do continente. Por enquanto, após pequenos ajustes, a distribuição das primeiras oito aeronaves foi definida de forma a aumentar a sua oferta nos mercados relevantes para seus clientes.
 

“De forma geral, a conectividade entre a América do Sul e a América do Norte sai reforçada. Especificamente a conexão da Colômbia e do Equador sai fortalecida para apoiar a exportação do setor da floricultura. Além disso, a exportação de salmão do Chile e seu mercado de importação serão fortalecidos. E, no Brasil, a capacidade de e para a América do Norte e Europa será ampliada, promovendo os mercados de exportação e importação.” - Kamal Hadad, diretor de Alianças e Malha Aérea da Latam Cargo.


 
Hadad também acrescenta que a flexibilidade da frota de carga permite que a Latam avalie múltiplas alternativas. 

 

“Por exemplo, as duas conversões adicionais podem ser usadas para renovar a frota atual ou para iniciar novos projetos de crescimento. O grupo tem tempo para tomar as decisões adequadas”. 
 
.
?

 

Veja também: