Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

“Segurança para organizações de transporte ferroviário são mais altas do que nunca”, afirma especialista

 

Publicado em 14/04/2022

Para atender esse segmento, a Hexagon, empresa sueca de sensores, softwares e soluções autônomas, apresenta ao mercado brasileiro plataforma de consciência situacional para proteção e vigilância de infraestruturas críticas

Por Redação


Foto: Shutterstock

Embora nas últimas décadas tenha ocorrido um grande retrocesso em investimentos no setor ferroviário no Brasil, muitas tecnologias – hoje em dia consolidadas – foram implementadas no setor no século passado. Por causa da pressão por redução de custos e aumento de eficiência operacional, a evolução tecnológica ao longo dos últimos anos tem sido incremental.

Segundo Fábio Guerra, executivo de comunicação e marketing da Hexagon na América Latina, empresa de sensores, softwares e soluções autônomas, alguns dados apontam um aumento relevante da população em áreas urbanas. A expectativa é que essa proporção aumente ainda mais até 2050, o que resultará em uma demanda maior por infraestrutura.

“De acordo com a International Energy Agency (IEA), a atividade global de transporte deve dobrar nos próximos 30 anos e, com isso, as expectativas de segurança para organizações de transporte ferroviário são mais altas do que nunca. Outro fator a considerar é que, a agenda ESG e as metas globais de descarbonização, demandarão maior produção e uso de energia renovável, a qual ocupará um maior espaço na matriz energética dos países e impactará todos os setores, inclusive o ferroviário que deverá ser protagonista na matriz de transporte, uma vez que ele gera menor impacto ambiental ao retirar caminhões das estradas, carros das ruas e até mesmo ser uma alternativa aos aviões, reduzindo massificamente o consumo de combustíveis fósseis, logo, a emissão de carbono.” – Fábio Guerra, executivo de comunicação e marketing da Hexagon na América Latina.

Focando no setor de transporte ferroviário, a Hexagon está lançando uma nova plataforma de consciência situacional para proteção e vigilância de infraestruturas críticas. O sistema reúne três soluções – Leica BLK 247, HxGN OnCall Security-Guardian e HxGN OnCall Dispatch – e centraliza dados de câmeras, alarmes, sensores, sistemas e de diversas outras fontes em um único lugar. Por meio da plataforma, é possível acompanhar toda a infraestrutura de segurança para que o processo seja realizado por um quadro reduzido de profissionais por meio de poucos monitores.

“A plataforma automatiza tarefas e workflows, exibe relatórios e gráficos dinâmicos atualizados em tempo real e integra opcionalmente com órgãos de segurança pública, proporcionando uma visão completa do que está acontecendo na operação, além de fornecer recursos avançados que permitem prever ameaças, analisar cenários com precisão e responder a emergências de maneira ágil e eficiente”, explica Guerra.

LACUNA DE TECNOLOGIA

Com a nova tecnologia, a Hexagon busca preencher importantes lacunas de tecnologia em organizações de infraestruturas críticas, ajudando-as a manterem serviços essenciais como transporte, abastecimento e comunicação funcionando de maneira contínua e segura e, ao mesmo tempo, a protegerem suas pessoas, ativos e propriedades. A plataforma já é utilizada em países como Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Itália e Suíça.

“O ano de 2022 deve ser promissor para as áreas essenciais, como as ferrovias, pois além de importantes marcos regulatórios e leilões realizados pelo setor público em todas as esferas (federal, estaduais e municipais), as concessões e parcerias públicos-privadas (PPPs) também devem alavancar os investimentos em tecnologia para a automação e segurança de infraestruturas críticas, um cenário favorável para a necessária transformação digital dessas organizações e consequente melhoria dos serviços fornecidos à população.” – Fábio Guerra, executivo de comunicação e marketing da Hexagon na América Latina.

 

Veja também: