Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Logtech disponibiliza crédito para as transportadoras no pré-embarque

 

Publicado em 16/11/2021

“naConta – Pré” é um novo produto financeiro que garante capital de giro quando as transportadoras mais precisam; objetivo é transacionar cerca de R$ 1 bilhão em produtos financeiros na modalidade no ano de 2022


Foto: Divulgação

Na cadeia logística, os custos incorridos para o carregamento de um frete caem todos sobre a transportadora, o que faz as empresas terem dificuldade de equalização o fluxo de caixa. Demandantes de intenso capital de giro antes mesmo de iniciarem o frete a burocracia de crédito via instituições bancárias tradicionais sempre foi um percalço, mesmo sendo um mercado gigante que por ano que movimenta mais de R$200 bilhões.

Para mudar esse cenário, a logtech goFlux lançou o “naConta – Pré”, um novo produto financeiro para as transportadoras. Segundo a startup, o diferencial da ferramenta é que a concessão do crédito às empresas é realizada no momento que elas mais necessitam – ou seja, após a oferta ganha dentro da plataforma e antes do carregamento da carga, de maneira mais segura e menos burocrática.

De acordo com Lucas Teixeira Castellani, economista e gerente de produtos financeiros da goFlux, em uma única interface, a transportadora consegue vender o serviço (frete) para grandes embarcadores e ao mesmo tempo ter crédito para realizar o frete contratado. “Com o acesso a recursos financeiros dentro da plataforma no momento certo, possibilitamos mais giros, equalização de fluxo de caixa e consequentemente melhor qualidade financeira”, diz.

A SOLUÇÃO NA PRÁTICA

A partir do momento que a transportadora ganha dentro da plataforma um lance/cotação, ela pode solicitar ali mesmo, o pré-financiamento do lote a ser carregado, podendo chegar até 50% valor total do lote.

E por que até 50%? De acordo com o economista, transportadoras terceirizam frota, subcontratando caminheiros autônomos.  Cerca de metade do valor do lote a receber vira custo no ato do embarque – equivalente a diária do motorista, combustível, pedágio e demais custos.

“Ou seja, já nesse primeiro momento a empresa descasa caixa. Com prazo médio de recebimento elevado, em torno de 30 a 40 dias a necessidade de capital de giro é imensa. E estamos prontos para suprir este gargalo”, destaca.

A logtech também disponibiliza outro produto financeiro que atende diretamente as transportadoras, o já consolidado “naConta – Pós”. Nesta modalidade, de antecipação de recebíveis, é antecipado o valor de um frete já performado/entregue dentro da plataforma. Conforme explica o gerente da empresa, são dois produtos que embora parecidos, não concorrem entre si.

“Pré financiamos até 50% no ato da contratação do frete antes mesmo do embarque e posterior a entrega conseguimos realizar a antecipação de recebíveis dos outros 50%. Nos dois produtos oferecemos oportunidade de escolha aos transportadoras onde hoje elas não possuem”, reforça o profissional.

Com o “naConta-Pós” já consolidado e o “naConta-Pré” com as primeiras operações bem-sucedidas, a goFlux já planeja ampliar a disponibilidade de crédito em sua plataforma para as transportadoras. Segundo Castellani, há o objetivo de transacionar cerca de R$ 1 bilhão em produtos financeiros no ano de 2022.

 

Veja também: