ÁREA DO ASSINANTE
Inscreva-se em nossa newsletter e fique bem informado!
Transfolha - Dia das Crianças

Intelbras
 

 

Categorias

 

MLOG - Manter atualizado

 

Logist

 



Paraná receberá investimentos para logística ainda este ano

Publicado em 25/06/2015

O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, esteve na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), no dia 19 de junho, com a sua equipe técnica, para apresentar o Programa de Investimentos em Logística (PIL), com o foco em rodovias. O PIL 2 foi lançado pela presidente Dilma Rousseff, no dia 9 de junho, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Investimentos no Estado
Inicialmente, o Paraná será contemplado em dois modais. O primeiro é o rodoviário. O PIL 2 prevê que, ainda em 2015, será realizada a concessão de um trecho de 460 km, que contempla as BRs-476, 153, 282 e 480, ligando a Lapa a União da Vitória, seguindo até Chapecó, e a divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A estimativa é que sejam investidos R$ 4,5 bilhões nesse trecho.

Além disso, o programa prevê negociações com duas concessionárias, que já atuam no Paraná e em Santa Catarina: a Autopista Litoral Sul, responsável pelo trecho entre Curitiba e Florianópolis, e a Autopista Planalto Sul, responsável pela ligação entre Curitiba e Lages. Assim como no caso das ferrovias, a intenção do governo é ampliar o leque de obras nas rodovias administradas por essas empresas.

O Paraná será contemplado, também, com investimentos no Porto de Paranaguá. Estão previstos seis novos arrendamentos, que devem totalizar investimentos de quase R$ 1 bilhão. Serão arrendadas áreas voltadas para celulose (R$ 120,28 milhões), granéis minerais (R$ 186,73 milhões), veículos (R$ 54,8 milhões), grãos e açúcar (R$ 115,49 milhões) e duas exclusivamente para grãos (R$ 279,42 milhões e R$ 203,4 milhões). O governo estima que as licitações para essas novas áreas sejam realizadas no primeiro semestre de 2016.

O programa
O pacote de investimentos é mais uma tentativa da presidente de modernizar parte da infraestrutura do País. Essa nova versão do PIL também é uma reação de Dilma à queda de sua popularidade, provocada pela desaceleração da economia e as denúncias de corrupção na Petrobras. Na primeira fase do PIL, anunciada em agosto de 2012, havia a previsão de investimentos de R$ 133 bilhões apenas em rodovias e ferrovias. Entretanto, dos nove trechos de estradas, apenas seis foram leiloados.

Fonte: A Voz do Paraná

 

Faça como milhares de profissionais! Acesse a plataforma para
profissionais de logística e supply chain. Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: