Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Pioneira no CE, multinacional adota baterias de íon-lítio na logística

 

Publicado em 04/11/2020

Empilhadeiras movidas a baterias de íon-lítio, que não poluem, são adotadas em operação logística pioneira no Nordeste

 

No Ceará, a vanguarda na adoção das baterias de íon-lítio na logística, fabricadas no Brasil, foi ocupada pela Diageo, multinacional de bebidas premium e proprietária de marcas como Ypióca, Johnnie Walker e Tanqueray.

A tecnologia, que não polui, será utilizada para o carregamento de empilhadeiras, agregando à operação avanços em sustentabilidade, além de eficiência energética e ergonomia. A Baterias Moura, com sua Moura Tração Lítio, foi a escolhida para a iniciativa pioneira na região.

 

Baterias de íon-lítio

Novidade no mercado, a bateria, Moura Tração Lítio, não libera CO2, nenhum outro gás e não contém ácidos, evitando a emissão de poluentes ao meio ambiente.
30% das empilhadeiras da Ypióca, em Fortaleza (CE), já operam com a tecnologia, que está sendo incorporada mediante contrato de locação com uma empresa fornecedora parceira do Grupo Moura e que será gradativamente estendida a toda a frota.

O intuito da Diageo é ter a totalidade das empilhadeiras com fonte de energia sustentável, cenário no qual estima que vai evitar a emissão de 125 toneladas de CO2/ano, que, para serem neutralizadas precisariam de 8.012 árvores, conforme parâmetros do Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas (IPCC).
Mais um atributo ecológico é a vida útil prolongada, de até 10 anos, o dobro que tem a bateria convencional.

 

“O impacto ambiental positivo é a principal motivação da nossa escolha, pois economicamente é um investimento alto. Além disso, valorizamos a economia nacional com a escolha de um fornecedor brasileiro.” - Natasha Pinheiro, head de logística da Diageo para a região Paraguai, Uruguai e Brasil (PUB).


“A nova linha de baterias Moura Tração Lítio traz ganhos de eficiência, produtividade, tecnologia e sustentabilidade ambiental nas operações logísticas industriais. Ficamos muito felizes em fazer parte desse projeto da Diageo.” - Fernando Castelão, diretor geral da divisão de lítio do Grupo Moura.

 

Há outros destaques. A bateria tem duração de até oito horas de uso contínuo e basta uma hora de recarga para elevar em até 80% a capacidade dela. Assim, a tecnologia é aliada da produtividade da operação, especialmente na comparação com a bateria convencional, que necessita de sete a nove horas para o recarregamento. O sistema de recarga rápida ainda elimina a tarefa de troca das pesadas baterias convencionais - uma tonelada, em média, manuseada com auxílio de suporte - beneficiando a ergonomia no trabalho dos operadores de empilhadeira. Os novos equipamentos requereram empilhadeiras compatíveis, fornecidas à Diageo pelo Grupo Kion, também mediante contrato de locação.

 

Foco em sustentabilidade

A Diageo atua fortemente com uma agenda ambiental no Ceará.
Entre as ações nessa área, não envia nenhum resíduo para aterro sanitário, promovendo reciclagem ou reutilização por meio de coprocessamento, em que resíduos não recicláveis seguem para uso como combustível na indústria de cimento.
Além disso, a Diageo criou em 2010 o programa Glass is Good, que, ao longo de nove anos, reciclou 28 mil toneladas de vidro de garrafas de bebidas no Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal e, em 2019, tornou-se iniciativa de todo o setor de bebidas ao passar para a gestão da Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe).

 

Veja também: