Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Quase 70% dos veículos já tem telemetria, aponta pesquisa

 

Publicado em 02/03/2021

Estudo revela que 55% dos participantes devem investir em média R$ 100 mil reais em melhorias na frota

 

Ao participarem de um estudo recente, 69,2% dos profissionais da gestão de frotas e áreas correlatas afirmaram que a tecnologia de telemetria já faz parte da sua frota. Ao todo, foram ouvidos 250 profissionais. Apenas 30,8% disseram ainda não possuir nenhum tipo de ferramenta do tipo embarcada.

Ainda assim, 30,4% dos entrevistados disseram que, em 2021, a telemetria será priorizada para investimento, seja voltado a melhorias da tecnologia já existente na frota ou, ainda, a primeira implementação.

O estudo, chamado de Tendências para a Gestão de Frotas em 2021, foi realizado em parceria com a Trimble Transportation Latam e a Younder EdTech. Os participantes foram ouvidos de forma on-line, no período de novembro de 2020 a janeiro de 2021.

Segundo Rony Neri, da Trimble, a telemetria é um investimento que tem impacto direto na lucratividade das empresas, já que garante a segurança do motorista e a redução de custos operacionais.


“Já existem tecnologias disponíveis capazes de diminuir até 99% o número de acidentes graves na estrada. Além de preservar a vida dos condutores, há uma economia de recursos considerável para a empresa. O estudo mostra que já existe conscientização sobre a importância da telemetria na gestão de frotas, mas ainda temos muitas empresas receosas devido a experiências negativas no passado. Nossa dica para os gestores que estão neste último grupo é que busquem informações atualizadas com fornecedores consolidados. Tem muita inovação e soluções confiáveis disponíveis, além dos benefícios de atuar com outras tecnologias integradas, como é o caso do videomonitoramento embarcado e sensores de fadiga.”


Investimentos

55% dos participantes disseram que devem investir em média R$ 100 mil reais para melhoria da frota; 23% deve investir entre R$ 101 mil e R$ 499 mil, 8% entre R$ 500 mil e R$ 1 milhão e 14% estimam investimentos acima de R$ 1 milhão. 

Dentre essas empresas, 61,2%, destinará recursos para a adoção ou melhoria de tecnologias para a frota e 54,8% para renovar ou aumentar a frota. 53,2% destinará o investimento para treinamentos e capacitações, apesar de não terem uma previsão exata de investimento para treinamentos, e 28,8% vão investir em novas contratações.


Tendências

Gerir a segurança e comportamentos do motorista (34%) e olhar para gerenciamento de custos (34%) são prioridades dos profissionais de gestão de frotas para 2021.
As metas mais comuns traçadas pelos gestores estão relacionadas à redução de comportamentos de risco, otimização da frota, prevenção de acidentes e economia de combustível.

Quanto às demandas da gestão de frotas ainda não atendidas pelas ferramentas que hoje compõem as operações dos respondentes, foram evidenciados fatores relacionados às tecnologias de telemetria, videomonitoramento e sensores de fadiga, além da necessidade de um sistema e tecnologias totalmente integradas.

Focada na prevenção de acidentes, a solução de monitoramento por vídeo pode ser integrada à telemetria para potencializar a análise de informações, pois possibilita comparar eventos da telemetria (frenagens, acelerações, curvas bruscas, etc.) às imagens captadas pelo vídeo no mesmo momento.


“Dessa forma, é possível compreender o que motivou o desvio e, em casos de acidentes, pode ser um dado essencial para elucidar a causa. A integração entre ferramentas é uma das principais demandas dos gestores para 2021.”

 

 

 

Veja também: