Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Solução da Gunnebo promete melhorar gestão logística em CDs

 

Publicado em 19/07/2017

Com a TUB Câmera, centros de distribuição podem ter melhor monitoramento com menor custo de manutenção

A Gunnebo disponibilizou no Brasil a TUB Câmera, solução de monitoramento para grandes espaços. O sistema apresenta vantagens como qualidade, precisão e segurança das imagens, além de otimizar os custos e facilitar o trabalho dos operadores.

Já utilizada no Brasil por algumas redes varejistas do setor de supermercados, a TUB Câmera também é usada por operadores logísticos na Europa, como TNT, no Reino Unido, Logidis, na França, e Loxxess, na República Checa. Segundo o diretor de Comunicação da Gunnebo, Luiz Fernando Sambugaro, não existem “zonas mortas” com a TUB. “Com uma lente com zoom óptico de 28 vezes, ela proporciona uma imagem de alta qualidade mesmo a grandes distâncias. Além de correr em um trilho, que possibilita ‘seguir’ um suspeito em ação, a novidade permite observar o ambiente por completo, graças à sua flexibilidade de girar 360º de forma rápida.”

Sambugaro explica que, com a ferramenta, é possível o operador logístico ou o gestor de um CD ter a administração do pessoal mais eficiente, auditoria sobre operação facilitada e um efeito inibidor muito importante para qualquer ação de delito. “A TUB é muito discreta. Com diâmetro reduzido e efeito espelhado, ela integra-se à arquitetura do ambiente, o que faz com que o colaborador ou um trabalhador terceirizado nem note a sua presença e, consequentemente, que não se sinta constrangido por estar sendo filmado”, revela.

A TUB Câmera foi desenvolvida para ser instalada em qualquer tamanho e estrutura, como viga metálica e concreto. “Não há nenhum impedimento quanto a altura e tamanho de área. Cada TUB tem o comprimento máximo de 120 metros e para um CD aconselhamos a versão HD/IP, já que aumenta consideravelmente a visão do operador, com um zoom de 30x de cada lado, fazendo 360° horizontalmente e 180° verticalmente”, diz Sambugaro.

 

Veja também: