Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Tecnologias ajudam a reduzir em até 90% custo operacional

 

Publicado em 24/07/2017

Há redução de gastos na realização de inventários, aumento na velocidade de entrega e melhora na performance das empresas que atuam no setor

Após nove trimestres consecutivos de resultados negativos, o PIB (Produto Interno Bruto) do setor de transporte e logística registrou um crescimento de 2,8% no primeiro trimestre de 2017, se comparado ao último trimestre do ano passado. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e evidenciam também o crescimento no PIB geral do Brasil, em 1%, no mesmo período em questão.

Visando contribuir para o desenvolvimento do setor logístico no País, algumas empresas vêm desenvolvendo tecnologias que proporcionam mais eficiência e produtividade a um custo-benefício interessante. Para atender as principais necessidades do cliente na gestão financeira dentro deste segmento, a Finnet, empresa brasileira de TI pioneira no desenvolvimento de soluções para fluxos de dados financeiros, disponibiliza a ferramenta Gestor de Documentos Eletrônicos na Web, o GD-e Web, que promete uma redução de 50% e 80% com relação aos custos operacionais.

A solução contempla os processos de emissão de documentos eletrônicos fiscais para a venda e transporte de produtos. Assim, qualquer procedimento de compra e venda de uma mercadoria é acompanhado pela área de emissão de documentos, garantindo a agilidade na distribuição, por meio de três módulos: o Conhecimento do Transporte (CT-e), Guia de Recolhimento de Tributos (GNRE) e o MDE. Entre os benefícios da solução estão a agilidade na autorização de NFE’s, emissão de guias (GRNE), redução da digitação, integração bancária, aperfeiçoamento na eficiência logística e geração automática de arquivos de pagamento, além de melhorar a comunicação com a cadeia de suprimentos.

O CEO da empresa, Yoshimiti Matsusaki explica que a Finnet desenvolveu um processo de pagamento de tributo expresso para levar praticidade e otimização. “O custo-benefício oferecido às empresas é muito atrativo, principalmente as que desejam melhorar a performance. Temos cases de clientes que reduziram entre 50% e 80% o custo operacional e tiveram um ganho expressivo na velocidade de entrega.”

Outra empresa que atua em parceria com a tecnologia no segmento é a GTP, pioneira na criação e implementação de soluções de automação por meio do uso das tecnologias de RFID (Radio Frequency Identification), RTLS (Real Time Location System) e Telemetria. A empresa oferece ao mercado a única ferramenta de inventário integrada com softwares de geolocalização e sensores em drones, usada para controlar com precisão estoques, evitando perdas e otimizando custos de forma automatizada e sem interferência humana. A solução promete gerar economia de 90% no custo de realização de inventários.

Por casa de uma parceria firmada com a norte-americana Zebra, líder global em soluções para rastreamento, o drone utiliza a tecnologia RTLS. Os sensores aéreos determinam a rota de voo e geram dados que são automaticamente cruzados com o WMS (Warehouse Management System), realizando assim o inventário de forma precisa. Capaz de medir a distância relativa entre a altura onde está e a dos paletes, o drone envia imagens em tempo real do estoque por meio de telemetria e calcula a quantidade de produtos existentes no armazém. Segundo o arquiteto de soluções da GTP, Jorge Fragoso, a geolocalização faz em minutos o que antes era feito em até duas horas por um ou dois funcionários. “Durante o sobrevoo, todas as quantidades de produto são confrontadas com os volumes armazenados, as entradas e as saídas.”

O drone já foi testado em duas das maiores empresas do país. Em uma delas, do mercado de óleo e gás, foi aplicado para gestão de ativos e construção de dutos de transporte de óleo entre duas refinarias distantes 50 km. Na outra, do setor de bebidas, gerou redução de 90% nos custos operacionais com inventário. O sistema também monitora e localiza em tempo real a movimentação de paletes, empilhadeiras e pessoas, prevenindo assim acidentes ao emitir um sinal para o colaborador e para o veículo.

 

Veja também: